Gambás: 3 semanas – um pedido

Já fazem 3 semanas que estou com eles, nossa, quanto tempo. Ainda não conseguimos ir para Porto ainda levar eles para a clinica, e enquanto isso eles vão ficando. Estão crescendo. Já tem pelinho mais longo, comem com as mãozinhas e já se lavam. Gravei ontem um deles se lavando, lavando o rostinho, coisa mais mimosa!
Estão todos bem!!

Faço um apelo para quem não conhece estes bichinhos. Quando o verem, não se assustem, apenas tente fazer ele sair de sua casa. Se ele entrou foi para tentar se alimentar. Apenas deixe ele sair calmamente, sem bater nele, ou agir de violência. Para que ele não perturbe mais é só fechar, tapar os buracos por onde entram. São inocentes, agem com muita calma, como podem ver por isso o nome.

Se ele não conseguir sair de sua casa que provavelmente verás que está assustado, a maneira mais rápida de fazer ele sair é pegar um balde grande e colocar em cima dele fechando-o ali e ir arrastando calmamente até a porta de sua casa, levando assim mesmo, indo arrastando o balde com ele fechado dentro. Quando estiver em um local em que ele possa sair é só pegar um cabo de vassoura e tirar o balde de cima dele. Geralmente estes bichos não atacam, só tentam fugir, mas como são muito lentos acabam sendo vítima fatal, infelizmente.

A fêmea fica mais lenta ainda quando está carregando seus filhotes, porque eles ficam dependurados na bolsa localizada na barriguinha.  Elas são alvo fácil, fácil, por causa disso. Todos eles ficam ali na bolsa até conseguirem viver sem o calor da mãe. Muitos quando ficam grandinhos acompanham a mãe dependurados pelo corpo dela.

Quando fui retirar eles da bolsa desta mãe gambá que havia morrido achei que ficavam grudados ali dentro, mas não. Estão soltinhos e sequinhos.  Se verem uma mãe morta com os filhotes bebês, pode tirá-los sem medo da bolsa, que eles não atacam. A não ser que a mãe esteja ainda viva.

Cuide para não entregá-los a Zoonose, porque muitas prefeituras não agem corretamente, infelizmente. Tente procurar um órgão de “proteção aos animais “para eles. Algum lugar que faça a reabilitação deles até a idade de devolverem para a natureza.  Quando fui procurar algo na prefeitura encontrei na Internet muitas dúvidas e desconfianças, e apelos para não darem eles a órgãos públicos, infelizmente. Eles podem servir de comida em zoológicos, ou em lugares preservados por prefeituras. Ou podem ser jogado fora.

Muitos que dizem que são perigosos que transmitem doenças, mas veja, uma vez estando dentro de sua casa , pode sim transmitir doença, assim como o rato. Se forem bebês, ainda não. Se descobriu que tem gambá lhe visitando, tente barrar a entrada deles.

Se eles verem que não podem chegar na  cozinha, não vão importunar mais. Se não verem lixo aberto na sua casa, não vão vir mais buscar restos de comida, que é o que vão fazer se acharem fácil, principalmente á noite, que é quando saem das tocas e de seus esconderijos. então mantenha a ração de cachorros guardada pela noite e lixos fora da residência e do pátio também à noite. Assim eles não nos visitam e não correm risco.

Eles são importantes para a fauna, comem insetos e roedores, frutas do chão, restos de alimentos, enfim, fazem a limpeza total. Eles são importantes!!!!

Aqueles que matam gambás, podem respoder por crime ambiental se forem denunciados, e se não me engano a multa é de R$ 500,00 por animal. Não estou certa disso, talvez tenha aumentado o valor.

O grande problema está quando vem a ninhada, que a mamãe gambá tenta fazer um ninho e geralmente é no sótão das casas, no forro. Aí é uma questão de saber preservar, ou impedir que ela faça ninhos ali, impedindo a sua  entrada. Meu pai antigamente fazia armadilhas para pegá-los, mas depois de pegar ele levava para longe, para o mato, nunca  os matava, lembro muito disso quando eu era pequena.

Fica então  meu apelo se por acaso tu ler esta postagem e já  tenha se deparado com pessoas judiando  destes bichinhos.

Beijinhos cheirosos!!!
Print Friendly

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.